CONHEÇA AS PROVAS DE CICLISMO EM LONDRES



BICICROSS


 

Um dos esportes mais emocionantes e cheios de ação dos Jogos Olímpicos, a corrida de bicicross garante muita emoção.

Em um esporte tão explosivo, onde uma corrida pode terminar em cerca de 30 a 40 segundos, ter uma boa largada e alcançar o 'holeshot' é crucial.

Esse termo refere-se ao ciclista que assume a liderança já na primeira curva e que, além de evitar os acidentes que são característicos do esporte, é uma posição vital para uma estratégia de corrida bem sucedida.

Com tantos obstáculos, ultrapassar pode ser difícil e assim o ciclista que lidera desde o início tende a ter uma vantagem significativa e tem mais probabilidade de vencer a corrida.

Aqueles ciclistas que tentam uma manobra de ultrapassagem correm o risco de causar um acidente que os tire da corrida, mas em uma disciplina tão emocionante, que acaba tão rapidamente, arriscar às vezes pode dar lucros.

Considerando as velocidades envolvidas e o fato de que oito ciclistas competem roda a roda em torno de um curso compacto de cerca de 350 metros, a probabilidade de ocorrer uma colisão  é grande.

Por exemplo, quando a disciplina fez sua estréia olímpica em Pequim 2008, a história das finais masculina e feminina ficou marcada por dois acidentes.

Maris Strombergs, da Letônia, ficou com o ouro no masculino, mas só depois de três ciclistas colidirem na segunda curva.

Na final feminina, Shanaze Reade (GBR), tentou ultrapassar a líder da final, a medalha de ouro Anne-Caroline Chausson (FRA) na última curva, mas se chocou contra a roda traseira da ciclista francesa e tombou para fora da corrida.

Espetáculo e emoção fazem da bicicross, uma das modalidades mais populares entre os espectadores dos Jogos Olímpicos.

As bicicletas de  motocross (BMX) foram inspiradas na versão motorizada do esporte, o motocross, que se tornou popular nos EUA nos anos 1960 e 1970.

O perfil do esporte cresceu ao longo das duas décadas seguintes e em 1993 o bicicross foi  completamente absorvido pela União Internacional de Ciclismo (UCI), antes da sua estráia nos Jogos Olímpicos 15 anos depois.

A estrutura de uma competição bicicross envolve uma tomada de tempo, seguida de  séries de baterias em que os ciclistas buscam ser um dos 16 semi-finalistas.

As duas semifinais incluem oito ciclistas disputando pontos em três corridas para tentar qualificar-se para o confronto de medalhas.


A prova

• O esporte de Bicicross, que foi inspirado pelo motocross motorizado, fez sua estréia olímpica em Pequim 2008.

• A competição tem oito ciclistas competindo em uma pista cheia de saltos, curvas acentuadas e obstáculos.

• Os ciclistas largam de  um portão de largada (gate) e descem uma rampa de oito metros de altura (caso do super bicicross) para seguirem o percurso.

• As bicicletas Bicicross  têm apenas uma transmissão, freio e pequenas rodas que medem cerca de 50 cm de diâmetro.

• Os ciclistas usam capacete protetor com proteção frontal, assim como proteção  nos cotovelos, joelhos, e camisa de manga comprida e calças compridas.

 


ESTRADA


Eventos clássicos de resistência como o Tour de France têm ajudado a aumentar a popularidade  do ciclismo de estrada, que é um das disciplinas que mais crescem no mundo.

As primeiras bicicletas com correntes foram desenvolvidas no século 19 e, ao longo do tempo, o ciclismo foi evoluindo, deixando de ser apenas um meio de transporte para se tornar um esporte profissional altamente competitivo, que sempre atrai grandes multidões e audiências de TV nos maiores eventos.

No cerne da modalidade, os ciclistas têm como objetivo concluir um percurso no menor tempo possível, algo que não mudou desde a primeira corrida de estrada nas Olimpíadas nos Jogos inaugurais da era moderna em 1896.

Na ocasião, apenas seis ciclistas competiram numa distância de 87 quilômetros, completando duas voltas do percurso da maratona grega, de Maratona a Atenas e retornando a Maratona.

Apesar de a estrada ter sido retirada da programação dos três Jogos Olímpicos seguintes, retornou em 1912 e faz parte dos Jogos desde então.

Atualmente, a modalidade masculina de estrada tem um percurso de 250 km, enquanto a modalidade feminina - que foi realizada pela primeira vez em 1984 - cobre uma distância de cerca de 140 km.

Em ambas as disciplinas, os ciclistas agrupados aguardam a largada e o primeiro a cruzar a linha de chegada é declarado o vencedor.

Resistência e habilidade no manuseio da bicicleta são requisitos obrigatórios, junto com uma boa estratégia e consciência tática para fazer o movimento certo no momento certo e estar bem posicionado para uma fuga.

Os ciclistas são também ajudados por sua  equipe, para dividir a carga de trabalho, neste que é um dos eventos mais duros das Olimpíadas.

A outra modalidade de ciclismo de estrada na programação Olímpica é o contra-relógio individual, que só foi introduzida em Atlanta 1996, sendo que a prova de revezamento por equipes foi realizado 1912 e 1992.

O Contra-relógio Individual é uma disciplina com a quilometragem mais curta, onde os ciclistas correm contra o relógio, sendo, mais de 44 km para homens e 29 km para mulheres. Requer velocidade mais equilibrada desde o início, com os competidores largando em intervalos de 1 minuto o vencedor sendo o ciclista com o melhor tempo geral.

Itália e França têm conquistado  o maior número de medalhas no ciclismo de estrada nos Jogos, enquanto nos eventos femininos, a Austrália e a Holanda são as duas nações de destaque.

À frente de Londres 2012, os holandeses possuem o único ciclista, masculino ou feminino, que obteve sucesso duplo ao vencer a corrida contra-relógio e de estrada após as duas medalhas de ouro de Leontien Zijlaard-van Moorsel em Sydney 2000.

Evento de Estrada

• A primeira corrida de estrada Olímpica foi realizada em Atenas 1896, onde apenas seis ciclistas competiram.

• O principal grupo de ciclistas em uma corrida de estrada é conhecido como o 'pelotão', e 'drafting' é a técnica de ficar no vácuo de outro ciclista como meio de preservar energia.

• Um 'flyer' é um ataque surpresa durante uma corrida, geralmente por um ciclista sozinho, uma tentativa de fuga.

• A corrida de estrada geralmente envolve várias subidas e descidas, com os ciclistas atingindo velocidade de mais de 100 km/h nas descidas.

• Na prova de estrada, as equipes trabalham em conjunto para colocar o seu  velocista em uma boa posição, para ser capaz de chegar na frente no Sprint final.


Contra-relógio Individual


• Ciclistas correm contra o relógio, com os ciclistas largando em intervalos de  1 minuto ou mais.

• Os Jogos de Atlanta de 1996 marcaram a estréia da disciplina nos Jogos Olímpicos.

• A prova de revezamento por equipes 4 X 100 foi realizada nas Olimpíadas entre 1912 e 1992.

• As provas de contra-relógio geralmente são realizadas em um percurso plano, que permite aos atletas atingir uma velocidade média de mais de 50 km/h.

• Os competidores não podem usar a técnica 'drafting' (vácuo) para ganhar vantagem, caso alcancem o ciclista a sua frente.


 CROSS COUNTRY  OLÍMPICO


Desenvolvido inicialmente como um passatempo para americanos em busca de emoção, o ciclismo estilo mountain bike se tornou rapidamente um dos esportes mais emocionantes da programação Olímpica.

Desafios aparecem a cada curva de um percurso de cross-country e incluem os perigos de pedras, subidas íngremes e descidas técnicas - tudo isso enquanto os ciclistas brigam por uma posição durante uma corrida.

O formato da largada em grupo para ver quem chega primeiro significa que os ciclistas de mountain bike têm apenas uma chance para acertar e isso contribui para a emoção dos espectadores, que podem acompanhar de perto o percurso da corrida, cujo circuito é formado por trilas e meio a florestas.

A emoção é desde o início com os atletas largando em grupo e tentando chegar à frente, o que muitas vezes pode gerar acidentes.

Cinquenta competidores se alinham para a corrida masculina nos Jogos Olímpicos e 30 para a prova feminina, com o primeiro ciclista a cruzar a linha de chegada sendo declarado o vencedor.

Com corridas que duram entre uma hora e meia e duas horas, a concentração é um fator chave, pois as habilidades de manuseio da bicicleta e a resistência dos competidores são testadas até o limite.

Igualmente importantes são as bicicletas de alto desempenho que são usadas ??para a competição. Elas precisam ser duráveis o suficiente para lidar com o terreno difícil, mas leves o suficiente para ajudar a subir e gerar velocidade.

Foi em 1970 que novas bicicletas resistentes, capazes de aguentar os mais difíceis terrenos foram desenvolvidas. Isso deu aos ciclistas muito mais liberdade para sair das ruas e partir para o off-road.

O esporte começou na Califórnia, EUA, mas sua popularidade logo se espalhou para a Europa e Austrália. Sete anos após os primeiros campeonatos nacionais de mountain bike serem realizados nos EUA, em 1990 foi realizado o primeiro campeonato mundial de mountain bike.

Depois disso, o crescente interesse pelo esporte em todo o mundo foi reconhecido na sua estréia Olímpica em Atlanta 1996, e tem sido praticado nos Jogos desde então.

Julien Absalon da França e Paola Pezzo, da Itália, já garantiram a honra de ganhar títulos Olímpicos consecutivos durante as suas carreiras  e são dois dos nomes mais reconhecidos no esporte.

A COMPETIÇÃO DE CROSS COUNTRY OLÍMPICO (XCO)

• Não há classificatórias para o XCO dos Jogos Olímpicos e os competidores se alinham na linha de largada para ver quem termina a corrida em primeiro.

• As bikes têm pneus mais grossos do que as bicicletas normais e também têm suspensão  para lidar com o terreno acidentado.

• Os Ciclistas transportam os seus próprios kits de ferramentas, mas só estão autorizados a receber assistência em zonas dedicadas.


PISTA


Desde que uma prova de velocidade foi realizada nas Olimpíadas de inauguração da era moderna em Atenas em 1896, o ciclismo de pista tem garantido algumas das maiores e mais dinâmicas emoções dos Jogos.

Originalmente realizado em pistas ao ar livre, o esporte foi realizado pela primeira vez em um ginásio coberto em um velódromo especializado nas Olimpíadas de Montreal em 1976.

No entanto, foi 16 anos mais tarde que o desenvolvimento da disciplina realmente começou a acelerar, com a introdução das bicicletas ultraleves de fibra de carbono que agora são comuns.

Chris Boardman (GBR), surpreendeu a todos quando chegou aos Jogos de Barcelona em 1992 com uma bicicleta Lotus nova e não testada, assim como um capacete futurista aerodinâmico, mas ele provou que os críticos estavam errados por enfaticamente ganhar a medalha de ouro individual - vencendo o rival e campeão mundial Jens Lehmann (GER), na final.

Isso definiu a tendência pelas bicicletas com alta tecnologia usadas hoje em dia, e o esporte continuou a abraçar mudanças desde então - com engenheiros agora ajudando os ciclistas a gerar a maior velocidade possível, fazendo bicicletas ainda mais aerodinâmicas e leves.

A mistura de tecnologia e excelência atlética ajuda a fazer do ciclismo de pista uma das disciplinas mais emocionantes do programa Olímpico.

Com exceção de Estocolmo 1912, o ciclismo de pista se fez presente à todas as edições dos Jogos, sendo que a modalidade feminina foi introduzida pela primeira vez em Seul 1988.

Em seu formato atual, as corridas  de velocidade e resistência ocorrem em uma pista de madeira, oval e inclinada medindo um mínimo de 250 metros de comprimento.

A estrutura do programa olímpico mudou consideravelmente ao longo dos anos e provas como Km/relógio,  perseguição individual, corrida por pontos e madison foram recentemente eliminadas.

O formato para Londres 2012 terá homens e mulheres competindo em provas idênticss, pela primeira vez na história olímpica, com cinco provas para cada sexo (keirin, velocidade, velocidade por equipe, perseguição por equipe e omnium), embora as distâncias percorridas em alguns dos eventos variem entre homens e mulheres.

A Grã-Bretanha tem sido o país dominante na história recente do ciclismo de pista. Liderados pelo tricampeão olímpico Chris Hoy, a equipe britânica ganhou sete medalhas de ouro, três de prata e duas de bronze em Pequim 2008.

Keirin

• O Keirin foi introduzido como um evento Olímpico em Sydney 2000.

• Os ciclistas completam uma série de voltas atrás de uma motocicleta que estabelece o ritmo, chamada de 'derny', que gradualmente aumenta a velocidade antes de sair da pista, com duas voltas e meia  antes do final. Depois disso, é uma competição normal até o final.

• Grupos de até oito ciclistas competem ao mesmo tempo, com o primeiro a cruzar a linha de chegada sendo o vencedor.

• As bicicletas de ciclismo de pista têm uma roda fixa e sem freios.

Velocidade por equipes

• Na corrida de velocidade por equipes, os ciclistas de uma equipe completam uma volta cada um como o ciclista da frente, até saírem pela lateral para deixar o último competidor disparar para a linha de chegada.

• Duas equipes competem uma contra a outra, a partir de lados opostos da pista, em uma série de baterias para tentar chegar à final.

• O ciclista da primeira etapa em uma equipe de velocidade é o mais forte na largada.

• A modalidade de velocidade por equipes se tornou um evento Olímpico em Sydney 2000.

• As bicicletas de ciclismo de pista têm uma roda fixa e sem freios.

Descrição: Jason Kenny da Grã-Bretanha compete na pista de ciclismo de velocidade. (© Press Association)

Press Association - Jason Kenny da Grã-Bretanha compete na pista de ciclismo de velocidade.

Velocidade

• No evento de velocidade, dois ciclistas competem lado a lado ao longo de três voltas, lutando por uma posição nas duas primeiras voltas antes do Sprint  na volta final.

• Os ciclistas competem em eliminatórias para chegar às fases seguintes do evento, nas quais dois concorrentes se enfrentam para ser campeão o melhor de três.

• A competição de velocidade foi a única disciplina  de ciclismo de pista realizada nos Jogos Olímpicos de inauguração da era moderna em Atenas em 1896.

• As bicicletas de ciclismo de pista têm uma roda fixa e sem freios.

Um bloco de partida especial mantém a bicicleta fixa no início de uma corrida até o sinal de largada.

Omnium

• Omnium é a mais recente modalidade de ciclismo de pista a ser incluída no cronograma Olímpico, tendo sido adicionada aos Jogos de Londres de 2012.

• A disciplina Omnium, composta de seis provas é um verdadeiro teste de habilidades de um ciclista, exigindo velocidade, resistência e corridas em grupo.

• As seis provas consistem em: volta lançada, corrida por pontos, eliminação, perseguição individual, scratch e contra-relógio.

• Os pontos em cada uma das seis corridas da modalidade Omnium são concedidos de acordo com a posição (quanto melhor a posição,  menor é a pontuação) e o ciclista com o menor número de pontos no final da competição ganha o ouro.

• As bicicletas de ciclismo de pista têm uma roda fixa e sem freios.

Descrição: Nova Zelândia compete na modalidade masculina de perseguição por equipes em Pequim 2008. (© Press Association)

Press Association - Nova Zelândia compete na modalidade masculina de perseguição por equipes em Pequim 2008.

Perseguição por equipes

• Na modalidade de perseguição por equipes que é baseada em resistência, uma equipe de quatro ciclistas completa uma série de voltas, onde cada um assume a dianteira do grupo, fazendo entre si o revezamento.

• Duas equipes competem uma contra a outra, largando em lados opostos da pista, com o objetivo de tentar ultrapassar a  outra equipe ou terminar no menor tempo.

• A prova de perseguição por equipes foi realizada pela primeira vez nas Olimpíadas de Londres em 1908.

• As bicicletas de ciclismo de pista têm uma roda fixa e sem freios.

Um bloco de partida especial mantém a bicicleta fixa no lugar no início de uma corrida até o sinal de largada.

 


Rua: Max Colin, 1640, América - Joinville
Telefone: (47) 3422-0137
Copyright 2012 © Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por VEG Tecnologia