PLANO BRASIL MEDALHAS 2016

http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2012/09/13/veja-lancamento-do-brasil-medalhas-2016

Portal do Brasil

Lançado Plano Brasil Medalhas 2016

O Plano Brasil Medalhas 2016 investirá R$ 1 bilhão a mais em ações para que o país fique entre os melhores colocados nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro

O plano Brasil Medalhas 2016, que foi lançado nesta quinta-feira (13) pela presidenta Dilma Rousseff e pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, tem como objetivo colocar o Brasil entre os 10 primeiros países nos Jogos Olímpicos e entre os cinco primeiros nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Serão investidos R$ 1 bilhão a mais no próximo ciclo olímpico, entre 2013 e 2016. Dos recursos, dois terços virão do Orçamento Geral da União (OGU) e um terço de investimentos de empresas estatais. Esses recursos são novos, ou seja, adicionais em relação ao orçamento já aplicado pelo Ministério do Esporte.

">Logo oficial dos Jogos Olímpicos de 2016, que ocorre no Rio de Janeiro
Ampliar
  • Logo oficial dos Jogos Olímpicos de 2016, que ocorre no Rio de Janeiro

O Ministério do Esporte priorizará modalidades com mais chances de obter medalhas. Foram escolhidas 21 categorias olímpicas e 15 paraolímpicas. As modalidades olímpicas selecionadas foram: águas abertas (novo nome para maratona aquática), atletismo, basquetebol, boxe, canoagem, , futebol feminino, ginástica artística, handebol, hipismo (saltos), judô, lutas, natação, pentatlo moderno, taekwondo, tênis, tiro esportivo, triatlo, vela, vôlei e vôlei de praia.

As paraolímpicas são: atletismo, bocha, canoagem, , esgrima em cadeiras de rodas, futebol de 5, futebol de 7, goalball, halterofilismo, hipismo, judô, natação, remo, tênis de mesa e voleibol sentado.

As demais modalidades continuarão sendo apoiadas pelo Ministério do Esporte e seguirão recebendo recursos pelas fontes tradicionais de financiamento federal.

Apoio ao atleta

O Brasil Medalhas 2016 regulamenta instrumentos previstos na Lei 12.395, sancionada em março de 2011, que lançou as bases para elevar o nível do esporte de alto rendimento. A vertente “apoio ao atleta” institui o Programa Pódio, que inclui nova categoria no Bolsa-Atleta – a Bolsa-Pódio – e cria a Bolsa-Técnico, que pagarão, respectivamente, até R$ 15 mil e até R$ 10 mil mensais.

Os beneficiados do Pódio serão atletas de modalidades individuais que, entre outros critérios, estejam situados entre os 20 melhores do ranking mundial e com reais chances de medalhas, além de seus treinadores e equipe multidisciplinar (preparador físico, nutricionista, atleta-guia).

Divulgação/Comitê Olímpico Brasileiro Jovens atletas brasileiros se preparam para as Olimpíadas de 2016 Ampliar
  • Jovens atletas brasileiros se preparam para as Olimpíadas de 2016

O Brasil Medalhas também contempla recursos para aquisição de equipamento esportivo (até R$ 20 mil por atleta) e apoio a treinamento e competições de atletas no Brasil e no exterior, por meio do pagamento de custos com diárias e passagens.

As demais categorias do Bolsa-Atleta (Estudantil, de Base, Nacional, Internacional e Olímpica/Paraolímpica) serão mantidas com os critérios atuais e dentro do orçamento regular do Ministério do Esporte.

Centros de treinamento

Outra vertente do plano Brasil Medalhas 2016 é a destinação de recursos para construção, reforma e operação de 22 centros de treinamento, selecionados em conjunto com os comitês Olímpico e Paralímpico, as confederações nacionais, clubes, estados e municípios. Desses, 21 são centros de modalidades olímpicas e um paralímpico, seguindo a recomendação do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que vai unificar todas as modalidades em um só local de treinamento. O apoio também prevê a aquisição de equipamentos esportivos.

Apoio de estatais

Ao todo, oito empresas estatais apoiarão modalidades esportivas em formato diferente do patrocínio que a maioria delas já dá a vários esportes. O novo apoio será focado na preparação de atletas e seleções para os Jogos Rio 2016. São elas:

Banco do Brasil: vela, vôlei de praia, vôlei e pentatlo moderno;
Banco do Brasil e Correios: handebol;
Banco do Nordeste (BNB): triatlo;
BNDES: canoagem e hipismo;

Correios: natação, águas abertas (maratona aquática) e tênis;
Eletrobras: basquetebol;
Infraero e Petrobras: judô;
Petrobras: boxe e taekwondo.

Gestão integrada

A gestão dos recursos será realizada de forma integrada por Ministério do Esporte, comitês Olímpico e Paralímpico, confederações e estatais. Faz parte dos objetivos dessa integração o apoio ao aprimoramento da gestão das confederações esportivas.

Ministério do Esporte, comitês, confederações e entes públicos elaborarão, em conjunto, um Plano Esportivo e de Investimento, que deverá ser aprovado até dezembro de 2012. A formalização dos convênios com confederações e entes públicos, além da lista de atletas inscritos no Programa Pódio, deverá ser finalizada em janeiro de 2013.

Leia mais:

Delegação brasileira tem melhor campanha da história em Jogos Paralímpicos

Etapa da Copa do Mundo de Pentatlo Moderno de 2013 será no Brasil

Indústria do esporte contribuirá para o desenvolvimento do País

Aberta chamada pública para ações em esporte de alto rendimento

Esporte cria programa Bolsa Técnico para apoio aos atletas brasileiros
 

Fonte:

Ministério do Esporte


Rua: Max Colin, 1640, América - Joinville
Telefone: (47) 3422-0137
Copyright 2012 © Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por VEG Tecnologia